Quiropata / Quiropraxia

ORIGEM DA PALAVRA
A palavra vem do Grego:
CHEIR (Chiro)+PRAKTIKOS (Pratic)
CHIROPRACTIC (leia-se CairopraTIC) = done by hand
CHIROPRACTOR (leia-se CairopracTOR)
Em português: QUIROPRÁTICA/QUIROPATIA = Prática Manual
QUIROPRÁTICO ou QUIROPATA = O que pratica com as mãos
A QUIROPRÁTICA (QUIROPRAXIA OU QUIROPATIA)
A quiroprática é uma ciência, filosofia, arte e profissão que, através de ajustes manuais, trata e previne alterações articulares e musculares, com base na coluna vertebral e nas articulações, integrando a estrutura humana ao sistema nervoso, permitindo assim, o pleno fluxo de informações neurológicas do organismo.
Não faz uso de drogas ou intervenções invasivas. A quiroprática é uma das mais avançadas e promissoras técnicas de terapia manual na reabilitação física por todo o mundo.
 
DESCRIÇÃO
Em linhas de regra, a osteopatia e a quiroprática são semelhantes no sentido em que o quiroprático utiliza as mãos para manipular as articulações e vértebras de modo a devolver ao organismo o seu nível de funcionamento ótimo. A quiroprática foi desenvolvida por um americano, o Dr. Daniel David Palmer (1845-1913), por volta do final do século XIX, após ter curado um porteiro local de surdez manipulando a sua coluna.
O quiroprático identifica as subluxações (desalinhamentos e restrições de movimentos) nas articulações do corpo humano, localizando sinais de alterações térmicas, edemas, massas, espasmo muscular, atrofia, textura dos tecidos e estruturas ósseas assimétricas, para avaliar a possibilidade dos sintomas referidos serem solucionados ou aliviados pelos métodos naturais que emprega; realiza tratamento terapêutico através de manipulações e ajustes específicos, a fim de integrar a estrutura a um pleno fluxo nervoso e permitir ao organismo expressar o máximo de saúde possível. Pode requerer exames complementares radiológicos ou laboratoriais, para determinar se o cliente deve ser encaminhado a outro especialista. Pode indicar aparelhos, sapatos, calços ou o que for necessário para casos especiais, bem como: esportes, exercícios, posturas profissionais, etc., para corrigir ou prevenir recorrências de disfunções biomecânicas.
Dado que a coluna protege uma grande parte do sistema nervoso, se as vértebras ficarem rígidas ou os nervos comprimidos ou “presos”, podem surgir problemas em praticamente qualquer parte do corpo. O objetivo do quiroprático é acabar com essa rigidez na coluna e “libertar” os nervos, eliminando o que deu origem a perturbações físicas, tais como desequilíbrios energéticos no nervo ciático, possíveis deslocamentos de discos, desconforto nos ombros e braços, dores lombares, lesões desportivas e dor de cabeça.
A primeira consulta com um Terapeuta Holístico, credenciado em quiroprática, implica não só obter um histórico das queixas do cliente, mas identificar as regiões problemáticas da coluna. O tratamento implica tipicamente tratar bloqueios físicos da coluna que interfiram com a função nervosa. Uma vez que estes ajustamentos requerem movimentos precisos, devem ser executados apenas por um quiroprático qualificado e não devem ser aplicados se o cliente tiver osteoporose, um tumor na coluna, inflamação ou uma fratura óssea recente.
A HISTÓRIA DA QUIROPRÁTICA
A manipulação do corpo humano é tão antiga quanto a própria história da humanidade. Gravuras rupestres em grutas do sul da França, remontando a 17.500 a.C., mostram a utilização de manipulações rudimentares.
Viajantes e mercadores registraram o uso de terapias manipulativas na China em 2.700 a.C. Desenhos atestam o uso de manipulações terapêuticas pelos povos ameríndios: Astecas, Toltecas, Maias, Oltecas e Incas.
Existem, ainda, relatos de seu uso nas medicinas tibetana, nepalense, grega, árabe, egípcia, etc. Hipócrates (460-340 a.C.), o pai da medicina, dizia que a cura é um processo de dentro para fora, que existe um poder dentro de nós, um princípio vital, que desencadeia um processo natural de cura. Ele pressentiu a importância da coluna vertebral, pois dizia que muitas doenças eram causadas por seu estado defeituoso: “A arte da terapia vertebral é antiga... Tenho em grande estima aqueles que a descobriram bem como os que me sucederão de geração e cujos trabalhos contribuirão para a arte natural de curar”.
A terapia de Hipócrates foi praticada por 5 séculos. Apolonius de Kitium, médico em Alexandria no séc. I a.C. relata no comentário ilustrado “Das Articulações”, a importância da coluna, para uma boa saúde. O físico grego Claudius Gálen, 160 anos d.C., mais tarde cognominado o pai da fisiologia experimental, dizia: “Veja o sistema nervoso como a chave da boa saúde”.
Galén tinha um discípulo, Eudemus, que sofria de paralisia num braço e mão, e foi curado pelo mestre, com uma manipulação cervical. Os Ciganos europeus, 1.100 d.C., curavam dores nas costas, andando sobre a região dolorida.
Com a dissolução do Império Romano, e a alteração dessa cultura, a Terapêutica Vertebral caiu no esquecimento, sendo lembrada apenas vez por outra, como num artigo publicado por Sir James Paget no British Medical Journal, em 1867, intitulado “Casos em que o ajuste ósseo pode curar.”
FUNDAMENTOS DA QUIROPRÁTICA
Os procedimentos normais para se cuidar da saúde, até o século passado, eram as sangrias, ventosas, extrações de corpos estranhos, suturas, cirurgias, amputações, imobilizações de fraturas, além da coleta de ervas e outros elementos que transformavam em elixires e poções para todas as doenças da época.
Esses conhecimentos eram baseados em três movimentos científicos, até o período da Renascença:
1. Retroquimismo – o estudo do conjunto de combinações químicas de um organismo;
2. Retromecanismo – O estudo das estruturas conforme as leis da mecânica;
3. Vitalismo – teoria filosófica-biológica em que os seres vivos possuem uma força particular (força vital) que dá origem aos fenômenos vitais.
Da união do retroquimismo e o vitalismo surgiu no século XVIII, a HOMEOPATIA –doutrina terapêutica baseada na idéia de que os sintomas das doenças devem ser combatidos com os medicamentos capazes de provocar os mesmos sintomas numa pessoa sadia. Criada por Samuel Hannesmann, obedece a dois princípios:
1. O da Semelhança: os medicamentos exercem sobre o organismo uma ação dinâmica, igual à força vital.
2. O da Dinamização: doses muito pequenas, para não agravar os sintomas que se quer combater.Com a evolução do pensamento humano e a sutilização do conhecimento científico, o Retromecanismo foi se modificando, surgindo a partir dele a Clínica Médica, a Físico-química e a Histologia.Da interação dessas ciências surgiu, na década de 40, a ALOPATIA, que é o antônimo da HOMEOPATIA.Com o passar dos séculos e com a evolução do homem, deu-se origem a outras ciências: a Teologia, a Anatomia, a Cirurgia, a Mecânica, a Estática, a Dinâmica e a Elétrica.

Pode a qualquer altura reservar, sua massagem ou consulta basta ligar, o dar um toque que nos ligamos